DEIC

Foco no combate ao crime organizado.

Entenda como é estruturado e quais as atribuições do departamento da Polícia Civil responsável pela apuração de crimes que envolvam patrimônio, furtos, roubos e receptações de veículos e cargas, entre outros.

Criado em 1969 como Departamento de Investigações sobre Crime Organizado, o Deic, a partir de 1º de dezembro de 2011, passou a se chamar Departamento Estadual de Investigações Criminais.

Trata-se de um órgão de execução da Polícia Civil cuja finalidade é exercer atividades de polícia judiciária na apuração de delitos de autoria conhecida e desconhecida, além de planejar e executar ações estratégicas de repressão ao crime organizado no Estado de São Paulo.

Fazem parte do Deic a Disccpat (Divisão de Investigações Sobre Crimes Contra o Patrimônio), Divecar (Divisão de Investigações Sobre Furtos, Roubos e Receptações de Veículos e Cargas) e DIG (Divisão de Investigações Gerais).

Ao longo de 2019, o Deic deflagrou inúmeras ações de enfrentamento ao crime organizado, com destaque para o combate aos desmanches ilegais por intermédio das operações “Desmonte”; à falsificação de produtos e pirataria; fraudes financeiras e eletrônicas; e lavagem de dinheiro.Além disso, o departamento é também responsável pela identificação, localização e prisão de – até o momento – cinco integrantes do roubo de carga de ouro do terminal do Aeroporto de Guarulhos, ocorrido em julho deste ano.

Em 2019 o Deic também participou de ações especiais de segurança durante o Carnaval e integrou megaoperações como a “Odin”, que envolveu outros departamentos da Polícia Civil em todo o Estado de São Paulo. “O foco do trabalho do departamento é o combate ao crime organizado visando os crimes contra o patrimônio. A importância do trabalho do Deic pode ser observada a partir das estatísticas de produtividade”, afirma Patrícia Carbone, delegada de polícia coordenadora da Unidade de Inteligência Policial.

O balanço de produtividade do Deic em 2019 (até o presente momento) aponta para a realização de 1.144 prisões em flagrante; 191 prisões por mandado; 1.094 indiciamentos; 130 armas apreendidas e 2.151 inquéritos instaurados.Com informações da Assessoria de Imprensa e Comunicação da Secretaria da Segurança Pública.